baixe nosso aplicativo

Romero deve criar Secretaria de Habitação para acomodar deputado na PMCG e abrir vaga para Eliza na Assembleia

Prefeito de Campina Grande garante que arranjo não vai gerar despesas extras para o município

Por: Blog do Gordinho

0

icones whats

O prefeito Romero Rodrigues (PSDB) parece ter encontrado a solução para atrair um deputado tucano para a Prefeitura de Campina Grande e, assim, abrir vaga para Eliza na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB). O gestor estuda a criação de uma nova pasta na estrutura administrativa da prefeitura, transformando a gerência de Habitação em secretaria.

Leia também: Tucano acredita na força administrativa de Romero Rodrigues e afirma que PSDB continua crescendo

Para não criar novas despesas, Romero propõe a revogação de duas secretarias adjuntas e a transferência da estrutura que serve à gerencia de Habitação, na Secretaria de Planejamento, para a nova pasta.

“Nós criaríamos uma titular sem adjunta e transferiríamos apenas da Secretaria de Planejamento a estrutura administrativa, a coordenação, a gerência, então não criaria nenhuma estrutura nova e você tinha uma estrutura especifica para cuidar dessa questão habitacional, ate porque nós temos um modelo que serve para o Brasil e não só para a Paraíba”, disse o prefeito, em entrevista ao Blog Política&etc.

De acordo com o deputado Bruno Cunha Lima, a ideia não é nova e já estava nos planos do prefeito, mesmo antes de Eliza “aparecer”. “Desde o final do ano passado, Romero já queria fazer essa conversão. Essa é uma pauta antiga, tendo em vista a política habitacional que tem implementado na cidade. Por outras questões não se chegou a um consenso e não implementou, mas o importante é que isso não vai gerar despesas para o município”, reforçou.

Embora não esteja definido se é Bruno ou o deputado Tovar Correia Lima quem vai para a gestão, declarações recentes de Tovar levam a crer que ele é quem deve deixar a ALPB para abrir espaço para Eliza. A reunião prevista para acontecer no último final de semana entre os dois parlamentares e o prefeito Romero foi desmarcada, em função das agendas dos tucanos.