baixe nosso aplicativo

Presidente do PSD minimiza 'disputa' entre Romero e Cartaxo: "Estaria incomodado se não tivéssemos nomes"

Deputado destacou sua proximidade com o prefeito de Campina Grande, mas salientou que o PSD pretende ter candidato a governador

Por: Blog do Gordinho

0

icones whats

O presidente do PSD, Rômulo Gouveia, não enxerga dificuldades em ter dois fortes nomes ‘disputando’ a indicação das oposições na Paraíba para a vaga ao governo do estado nas eleições de 2018. O deputado destacou sua proximidade com Romero Rodrigues (PSDB) e avaliou que ela contribui para construir um bom relacionamento no grupo. “Não estamos preterindo Romero. Do mesmo jeito que Luciano Cartaxo tem o direito de pleitear ele também tem”, afirmou.

Leia mais: Rômulo rebate líder sobre fragilidade de Cartaxo e manda recado: “O candidato nós que decidimos”

‘Não sou dos que apostam no insucesso de alguém para crescer’, diz Romero sobre investigações da Lagoa

Rômulo lembrou que é um dirigente partidário e que o próprio Romero entende a necessidade de defender a candidatura do PSD. “Seria muito contraditório eu ser presidente do partido e deixá-los (Luciano e Lucélio) à deriva, não apoiar a candidaturas deles. Luciano não tem feito imposição até porque sequer tem dito que é candidato. Ele tem conversado e está aberto ao diálogo, mas o PSD pretende ter candidato a governador”, endossou.

Ao mesmo tempo, o deputado salienta sua boa relação com o prefeito de Campina Grande. “Não é surpresa para Cartaxo a minha relação com Romero. Ele sabe que iniciamos juntos e que nossa trajetória política é muito parecida. Temos uma relação muito fraterna”, destacou. No entanto, ele rejeitou a tese de que a amizade poderia afetar a relação com o prefeito da Capital. “Isso parte de pessoas que querem dividir. Tem endereço e sabemos de onde vem”.

O deputado reconheceu que o grande desafio do grupo, no entanto, é manter-se unido para não rachar até as eleições. “Nós temos nomes e obviamente que teremos que ter a capacidade de escolher o melhor. Será o melhor através de pesquisas, avaliações e do próprio sentimento das ruas. Esse será o termômetro. Eu estaria muito incomodado se não tivéssemos alternativa de nomes. Isso só dignifica as oposições e acho que tem espaço para todos. Vamos construir uma boa chapa”, destacou.