baixe nosso aplicativo

Centro Histórico de João Pessoa completa dez anos de tombamento

Toda a área do Centro Histórico compreende cerca de 700 edificações no estilo barroco, no caso das igrejas, e Art Decó

Por: Blog do Gordinho

0

icones whats

Um pedaço da história de João Pessoa contada em 37 hectares e registrada na arquitetura de ruas, praças e edificações que resistem ao tempo e remetem ao passado da criação da cidade. Neste mês de dezembro, completou dez anos de tombamento do Centro Histórico da Capital e a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) tem investido em ações para revitalizar a área.

Toda a área do Centro Histórico compreende cerca de 700 edificações no estilo barroco, no caso das igrejas, e Art Decó, que está na maior parte dos casarões. A beleza da arquitetura é o que mais chama atenção dos turistas, como os estudantes Laira Rocha e Rafael Pinheiro, que são do estado de São Paulo. “É a primeira vez que venho a João Pessoa e estou encantado com esse lugar. As igrejas e esse conjunto de casarões são fantásticos. Com certeza vou voltar mais vezes”, disse Rafael Pinheiro.

No caso de Laira Rocha, que está morando há menos de um ano na capital paraibana onde faz mestrado, as atrações culturais que acontecem semanalmente na Praça Antenor Navarro está no roteiro de passeios do fim de semana. “Recentemente também tenho vindo aos shows que estão acontecendo na Casa da Pólvora e achei muito legal. Essa movimentação cultural mostra que o local está sendo bem utilizado”, destacou a estudante.

O coordenador do Patrimônio Cultural de João Pessoa (Copac) da PMJP, Rui Leitão, lembrou que as ações de preservação e revitalização que a gestão municipal tem feito no Centro Histórico fomentam, sobretudo, o turismo na cidade.

“A partir do momento em que temos esse acervo preservado, passamos a ser um atrativo turístico. É nesse sentido que a Prefeitura está desenvolvendo ações para a recuperação dos imóveis, praças e logradouros, como a Casa da Pólvora, Pavilhão do Chá, Hotel Globo e, mais recentemente o projeto Villa Sanhauá e do antigo Conventinho”, destacou Rui Leitão.

Por sua vez, o secretário de Turismo da Capital, Fernando Milanez, reforçou que promover a conservação dos bens culturais do Centro Histórico é também preservar a história e memória da cidade. “Quem não vive de passado, não vai ter presente. Os turistas que visitam João Pessoa ficam encantados com a orla e os atrativos dessa área. Mas, o Centro Histórico, com certeza, conquista a todos. E é fazendo essas ações de preservação e revitalização do nosso Centro que vamos reforçar isso”, frisou o secretário.

Obras – Desde que assumiu a PMJP, em 2013, o prefeito Luciano Cartaxo tem feito ações para a recuperação de toda a região central de João Pessoa, incluindo o Centro Histórico. Entre as obras entregues estão o Parque da Lagoa Solon de Lucena, Praça da Independência, Praça da Pedra, Praça João Pessoa, Praça 1817, Hotel Globo, Casa da Pólvora e Galeria Augusto dos Anjos. Neste segundo semestre, duas grandes obras na área do Centro Histórico estão em andamento: a Villa Sanhauá e o Novo Conventinho.

No caso do Villa Sanhauá, as obras de reabilitação dos oito casarões históricos localizados na Rua João Suassuna já estão em andamento. As edificações serão ocupadas por moradias e estabelecimentos comerciais. O projeto foi elaborado por técnicos da Secretaria de Habitação Social (Semhab) e será desenvolvido com recursos próprios da PMJP, orçado em R$ 4.211.934,00. Os oito casarões comportarão 17 unidades habitacionais e seis comerciais, além de um prédio destinado a uma instalação institucional da PMJP.

As obras do Novo Conventinho também estão em andamento e a estrutura vai abrigar a Biblioteca Municipal da Capital e um Centro de Cultura e Artes. O projeto está orçado em R$ 2,8 milhões e o projeto foi concebido de uma parceria entre as equipes das Secretarias de Planejamento (Seplan), Infraestrutura (Seinfra) e Coordenadoria do Patrimônio Cultural de João Pessoa (Copac).

Resgate cultural – Além da recuperação dos imóveis municipais localizados no Centro Histórico, a PMJP tem feito ações de revitalização e fomento à cultura na área, como o ‘Pólvora Cultural’ e o ‘Pavilhão Literário’.

O projeto Pólvora Cultural segue a política de ocupação ordenada e responsável do Centro Histórico, levando vida social e econômica para o local e expandir o mercado de trabalho para os artistas locais, que se apresentam todos os domingos na Casa da Pólvora, a partir das 16h, com entrada gratuita. Já no Pavilhão do Chá, localizado na Praça Venâncio Neiva, foi entregue completamente requalificado pelo prefeito Luciano Cartaxo no último dia 31 de agosto e passou a ser um Centro Cultural, envolvendo as artes, como música, dança e literatura, além de exposições, oficinas e palestras.

Neste mês de dezembro, a PMJP promove o ‘Anima Centro’ para movimentar os pontos turísticos do Centro Histórico da cidade que foram revitalizados pela gestão. Semanalmente são diversas atrações culturais, com música, dança, teatro, circo e cinema.