baixe nosso aplicativo

Após perda de recursos do BRT, oposição inicia caravana e fiscaliza obras da Beira Rio, em JP

Como resultado da vistoria realizada hoje, foi firmada a garantia de que a primeira parte da obra será entregue em março deste ano

Por: Érica de Oliveira

1

icones whats

ponte_beirario_foto_julianasantos-018-300x218Após reunião para definir diretrizes de atuação, a bancada de oposição na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) realizou, nesta quarta-feira (11), a primeira “Caravana da Oposição” com objetivo de fiscalizar as obras da Avenida Beira Rio, na Capital. Dos 10 vereadores que compõe a base, 8 estiveram presentes.

Leia também: Cartaxo nega perda de recursos de BRT e diz que presidente do PT “trocou alhos por bugalhos”

A ação, segundo o vereador e líder da bancada, Bruno Farias (PPS), será programática e irá acompanhar além de obras, os serviços essenciais e equipamentos públicos. Como resultado da vistoria realizada hoje, foi firmada a garantia de que a primeira parte da obra será entregue em março deste ano.

“Estivemos lá cobrando a entrega da obra, já que ela deveria ter sito concluída em fevereiro de 2016, e está praticamente com um ano de atraso. Uma obra de extrema importância pra cidade, mas que estava causando muitos transtornos, tornando o trânsito insuportável às pessoas que trafegam em horário de pico”, disse.

A escolha do local se deu após a anulação de recursos federais destinado ao BRT (Bus Rapid System), um sistema de ônibus de alta capacidade e velocidade, de João Pessoa. De acordo com a portaria publicada no Diário Oficial da União (DOU), a prefeitura não formalizou a contratação das operações de crédito juntos aos agentes financeiros do programa, o que o vereador considerou “omissão” por parte do prefeito Luciano Cartaxo (PSD).

“Recebemos estupefatos a notícia, dada a ineficiência, a inércia, a omissão e a negligência do prefeito. Tinha um prazo desde 2012 para apresentar os projetos, e viabilizar a vinda dos recursos, e ele cochilou, dormiu no ponto, e o grande prejudicado foi o povo de João Pessoa”, declarou.